A Padaria

A nossa história

A Padaria Portuguesa nasceu em 2010, numa pequena fábrica em Samora Correia. 

Eram outros tempos. Tempos em que os portugueses, e sobretudo os lisboetas, iam cada vez mais comprar o seu pão às grandes superfícies, quase sempre distantes das zonas de residência. A nossa missão passava por resgatar um sentimento bairrista em declínio, com produtos de fabrico próprio, um atendimento personalizado e acolhedor, e a oportunidade generalizada de tomar o pequeno-almoço fora de casa.

O chef Paulo Cardoso, ainda hoje connosco, foi o primeiro funcionário d’A Padaria Portuguesa.

Criou, testou e aperfeiçou grande parte das nossas receitas mais icónicas – o pão de deus foi a primeira e, provavelmente, mais marcante de todas elas. Simples ou misto, foi conquistando o seu espaço no dia-a-dia dos portugueses e, hoje em dia, é conhecido e admirado um pouco por todo o mundo.

Cada vez mais próximas de todos, as nossas lojas foram-se tornando, mais do que locais de passagem, pontos de encontro para casais, famílias, trabalhadores, estudantes e turistas.

O chão em mosaico tricolor, as paredes com o quadro da ceifeira ou as peneiras, a bicicleta à porta, a música lusófona e o aroma a pão quente em muito contribuíram para essa vontade de permanecer.

Ao fim de mais de uma década de história, A Padaria Portuguesa mudou.

Mudou matérias-primas. Mudou receitas. Mudou a logo marca. Mudou a imagem e decoração das lojas. Mudou as fardas dos colaboradores. Mudou o serviço de loiça de café. Atualmente, temos 59 lojas totalmente renovadas, com uma identidade mais simples e sofisticada, espalhadas por um total de 8 concelhos e 2 distritos. Na renovação das lojas, optámos por utilizar materiais locais, como o mármore de Estremoz e terracota trabalhada por artesãos portugueses.

Com a supervisão fundamental do nosso Diretor de Qualidade e Inovação, Carlos Pina, desenvolvemos uma nova oferta de produtos, com base em matérias-primas de maior qualidade e frescura. e menor impacto ambiental. Substituímos o café tradicional por um blend exclusivo de café orgânico e as farinhas industriais por farinhas de moleiro; aumentámos a nossa oferta vegetariana; criámos, pela primeira vez, pão sem glúten; e começámos a envolver-nos em projetos de economia circular, reaproveitam desperdício para gerar novos recursos, como é o caso da parceria com a Nãm Mushroom Farm, que transforma as borras do nosso café orgânico em cogumelos, com os quais fazemos sandes e saladas.

O nosso propósito

Acordamos todas as manhãs e ligamos o forno com o mesmo desejo: o de criar novas tradições.

Queremos valorizar e preservar o que há de melhor no passado, inspirando e sendo parte da mudança, seja na comida que preparamos diariamente ou em novas formas de agir, pensar e estar. Nesta fusão entre o antigamente e o agora, o saber-fazer português é enriquecido pela diversidade que encontramos no mundo lá fora.

A nossa fábrica

SEMPRE QUE POSSÍVEL, PRIVILEGIAMOS A PRODUÇÃO PRÓPRIA.

Com uma equipa com mais de 100 pessoas, a nossa fábrica em Marvila dá-nos a autonomia e a garantia Com uma equipa com mais de 100 pessoas, a nossa fábrica em Marvila dá-nos a autonomia e a garantia de qualidade de que precisamos para conseguir produtos sempre frescos, dia sim, dia sim. Embora contemos com a ajuda de máquinas para produzir maiores quantidades, são as mãos dos nossos padeiros e pasteleiros que fazem toda a diferença e tornam cada um dos nossos produtos verdadeiramente únicos. O amassar e moldar do pão, o enrolar dos croissants, o abrir dos pastéis de nata, o rechear e decorar bolos grandes são alguns dos processos de produção que mais requerem o tão diferenciador toque humano. Daqui, saem milhares de pães e bolos para todas as Padarias, a cada madrugada, transportados pelos motoristas do nosso centro logístico.